Evaldo repercute pesquisa do IBGE sobre o aumento da desigualdade no Brasil

Evaldo Lima integra o PCdoB - Foto: Érika Fonseca.

O vereador do PCdoB utilizou, na manhã desta quinta-feira, a tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza, para fazer uma reflexão sobre os dados divulgados ontem (11), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que mostra, a queda no rendimento da população e o aumento da desigualdade em 2017.

Evaldo Lima observou que essa situação é resultado da recessão, enfrentada por Michel Temer com medidas que prejudicam o trabalhador. O parlamentar afirmou que ano passado, 1% da população brasileira com rendimentos mais elevados recebia 36,1 vezes mais do que a metade mais pobre da população.

“A desigualdade de renda aumentou em quatro das cinco regiões do país. Em 2017, as pessoas que tinham algum rendimento recebiam, em média, R$ 2.112,00 contra R$ 2.124,00 em 2016. Nos estratos mais vulneráveis da sociedade, a comparação expõe um cenário ainda mais perverso. A renda mensal dos trabalhadores mais pobres recuou de R$ 76, em 2016, para R$ 47 no ano passado”, expôs o vereador.

O socialista finalizou destacando que o quadro atual do país é de um mercado de trabalho com 13 milhões de desempregados e um outro contingente de subocupados. O vereador ressalta que apesar de ter havido uma leve redução na taxa de desemprego, ela é influenciada pela criação de ocupações informais, que resultam em queda na renda de trabalho.

“Tudo dificulta a retomada do consumo. Além disso, faltam investimentos nos setores púbicos e privado.”